TRAVESSIA XURÉS/GERÊS Terras do Barroso

De 08 e 09 Dezembro de 2006

Aí temos mais um evento/aventura organizada pela GEA-Galicia Eco Aventura e ADOCA – Asociación Deportiva de Orientación Y Carreras de Aventura. Com início no fim de semana alargado de 08 de Dezembro. Vamos pedalar sobre as mais altas montanhas da Serra do Xurés e do Pisco ligando Lobios a Montalegre em 2 etapas com uma extensão total de 160 km.

Esta é uma Travessia ao alcance de Todos que regularmente andam BTT.

Estas são as características:

Média de 75 KM por dia
Primeira parte da 1ªetapa (até Pitões) a subir. Segunda parte da 1ª etapa (até Montalegre) planar e descer
Primeira parte da 2ª etapa (até aos moinhos) a subir. Segunda parte (até Lobios) planar e descer
A travessia é organizada nesta altura, logo uma maior probabilidade da adversidade do clima. (chuva, lama, dias mais curtos).
Ritmo de andamento sempre vivo para garantir chegar ainda de dia.
Subidas "Acessíveis" e descidas a condizer.
Auto-suficiência durante as etapas.

1º Etapa
Sexta - Feira, 09 de Dezembro de 2006 – 09H30
LOBIOS – PITÕES DE JÚNIAS - MONTALEGRE - 75 KM
Dificuldade = alta/media (4-3)

2º Etapa
Sábado, 10 de Dezembro de 2006 – 09H30
MONTALEGRE - TOURÉM – LOBIOS - 82 KM
Dificuldade = alta/media (4-3)

Esta Travessia foi pensada e desenhada para ser o que de mais acessível se pode fazer de BTT para ligar estas localidades, e animados por este objectivo não nos poupámos em procurar todos os trilhos descendentes, ascendentes, de linhas de cumeada, planaltos e as maiores estradas florestais destas montanhas destes parques. É pois um desafio ao alcance de todos os que habitualmente fazem BTT, mas apenas daqueles que habitualmente andam e encontram felicidade em vencer desafios cada vez mais exigentes.

Pedalamos quase sempre pelas estradas florestais até atingir linhas de cumeada com paisagens a perder de vista tanto ao encontro dos marcos geodésicos, moinhos e antenas que são uma constante nesta travessia passando por aldeias de pedra fria e gentes hospitaleiras do mais rural do nosso Norte Portugal/Galiza.

O perfil altimétrico desta travessia não deixa dúvidas quanto à dureza e simplicidade, grandes subidas ora em extensão ora em inclinação, nos primeiros 50% da 1ª etapa e 2ª etapa, bisando estes atributos para as descidas subsequentes nos segundos 50 % 1ª e 2ª etapa. Poucas vezes temos que trocar os pedais pelo solo e sentir o peso da bicicleta não só a subir mas algumas vezes também a descer, tal a inclinação.

Obviamente não podemos admitir inscrições de pessoas não suficientemente preparadas e que não tenham uma boa técnica de BTT. Não se trata de qualquer tipo de descriminação, mas consideramos que quem não preencha aqueles requisitos não iria de forma alguma poder apreciar esta aventura, não só porque dificilmente chegaria ao fim de cada etapa em tempo útil, como ainda o sofrimento que sentiria para vencer os obstáculos e manter-se no ritmo do grupo, seria tal que lhe bloquearia a mente para desfrutar a aventura.

Assim faremos apenas 2 níveis de andamento que corresponde um ao nível mais exigente e outro ao médio dos passeios que frequentemente organizamos.

Tal como em todas as Travessias em BTT da Galicia Eco Aventura, a ADOCA montará toda a logística de transporte das bagagens dos participantes do início para o fim de cada etapa e não fará o "transfer" do fim para o princípio daqueles que decidirem fazer Meia Travessia (uma etapa). Reservaremos ainda alojamentos nos locais, ou perto dos locais, de final de etapa para aqueles que o desejem.

As inscrições são limitadas a participantes por grupo e faremos 2 grupos no máximo. Se estiver interessado seja rápido em se inscrever.

Mais informações e inscrições em http://www.galiciaecoaventura.com/travessia06/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog